UM POUCO MAIS


Um pouco mais de paciência no coração, humildade, silêncio intuitivo, contemplação serena, amor infinito. Um pouco mais de carinho pelas coisas, vida, humanidade, certezas, pureza, verdade. O mundo tem nos tornado seres cansados. Nossas percepções edificaram a falsa idéia de que só somos felizes se tivermos bens materiais e comodismo. No entanto, a decadência espiritual do planeta vem criando um ar de desconforto em cada um de nós. Nossa extrema individualidade recriou a magnética sensação de fraqueza que nos perpassa continuamente deixando em nós mesmos a desconcentrada sensação contaminada pela postura capenga dos atos que fantasiamos e soltamos no espaço teatral do cotidiano. Nossa dignidade anda perdida pelas estradas que nos levam a ambições tolas. Desconhecemos nossos limites, estamos divididos e não nos esforçamos para melhorarmos nossos interior poluído de inconveniências, incongruências, maledicências, incontinências desconexas e fugidias. Um pouco mais de clareza em nossas visões daria a cada coisa a importância que ela congrega. Nossos medos constroem as divisões de nossas almas, mantêm as circunstâncias petrificadas das dificuldades que nos aceleram deixando em nossos corações a incoerência e o silêncio. Um pouco mais de verdade em nossos atos aprofundariam nossas ações dando um sentimento de nobreza às atitudes que nos cercam e nos impulsionam para a descoberta de nós mesmos.

 

Aroldo Ferreira Leão