... Sua poesia desnuda e expõe a alma de uma dessas pessoas que já nasce com o “destino” da busca, da procura de si mesmo nos meandros da vida e de conhecer a “verdadeira face” do ser humano, tão ardilosamente oculta pelas máscaras que se vão sendo sobrepostas existência afora. A inquietação, a pressa de respostas a perguntas que lhe vêm de longe, lá dentro do seu subconsciente, faz com que respostas/interrogativas se multipliquem e esbarrem em forma de poesia. É o lato sensu do ser interiorizado com o ser exterior metamorfoseando-se em pura arte. Aroldo se apresenta, para si próprio, como um grande ponto de interrogação! Aroldo Ferreira Leão nasceu poeta e algo de marcante está ainda para lhe acontecer...

J. Mildes
Petrolina/PE, 1999