Caro poeta Aroldo Ferreira Leão, há quase um ano recebi, a esta altura do meu ex-cunhado, o soldado Bitencourt, o livro A Trilogia da Dor e ele muito entusiasmado. Jurei que iria lhe mandar o Amendoim, espécie de humor em forma de livro, o que só agora estou fazendo. Peço perdão ao irmão poeta pela demora. Se demorei, porém, nunca esqueci. Assim, fico em paz com minha cuca e certo de que estarei levando-lhe humor para abrandar mais um pouco esta vida. Um grande abraço, grande poeta dinâmico!

José Olívio
Alagoinhas, 1996