Prezado Aroldo, sou formado em economia, sempre gostei de estudar e fui apresentado ao mundo da literatura bem cedo. Tomei gosto e desde então tenho aproveitado a companhia mágica dos livros, os quais têm se mostrado fiéis e constantes amigos. Graças aos livros, tornei-me uma pessoa de horizontes amplos. Tenho poucas certezas, mas as tenho por mim próprio... Imagino o que seria do Brasil se fôssemos um país de leitores e me entristeço com o que vejo hoje. Tomei a liberdade de escrever porque gostaria de conhecer um pouco do trabalho do senhor...

Gustavo Cavalheire
Petrópolis/RJ, 2002