CONSTATAÇÃO
(A Alquimia do Impreciso)

Triste é constatar que somos prisioneiros
De nós mesmos, que já não passamos de arteiros
Meninos na incessante busca por verdadeiros
Caminhos a trilhar.
Unidos a agoureiros

Instintos anormais queremos as cadências
Sucumbidas nos vícios de quaisquer essências,
Os sobroços insossos das intermitências
Hostis. Fantasmagóricas impaciências

Brilham nos descampados do ser, magnetizam
Tolas necessidades que, plenas, deslizam
Nos abismos. Florais sonhos aromatizam

Expectativas e dores invioláveis,
Retraem os impulsos desses recicláveis
Momentos atrelados a vidas instáveis.

voltar