TUDO
(A Janela do Sótão)

Tudo muda,
Tudo passa.
Qual a graça?
Deus acuda

Este ser
Dividido
Que perdido,
Sem se ter

Molda o instante
Com a infante
Liberdade

Dos malditos!
Não há méritos
Nos maus ditos.

voltar